Homem sem jaleco. Algum problema?

Olá gente, tudo bem?! Minha semana foi boa, exceto um dos dias, que começou meio torto. Fui obrigado a arrumar um tempinho e passar por aqui para dividir com vocês a loucura alheia. Tem gente louca nesse mundo né? Mas no meio dessas pessoas, tem muita gente que é mal educada, e se passa por louca. São coisas diferentes, viu?!
Estava eu no meu plantão, num dia de semana (nem era sexta-feira!), tranquilo, feliz da vida, como de costume. Chamei a paciente para atendimento. A mãe, ao me ver, antes mesmo de entrar na sala, parou e me olhou de cima a baixo. Arregalou os olhos como se estivesse vendo um fantasma. Fiquei preocupado! Será que estou com algum problema?! Sabe quando passa milhares de coisas na sua cabeça? Quase saí correndo para me olhar no espelho! Algo de estranho deve estar acontecendo comigo, pensei.

– Aonde está a médica? Perguntou a mãe impaciente.
– Não é médica, senhora. Eu sou o médico de plantão. Falei um pouco constrangido.
– Como assim médico?! Minha filha nunca foi atendido por um médico, e sim por médicas.

Se não fosse o jeito bravo e grosseiro, eu até pensaria que ela estava apenas surpresa. Mas não. Ela era, realmente, mal educada! Tentei ajeitar a situação (como se eu que tivesse a responsabilidade disso) e prossegui:
– Senhora, sinto muito, mas não poderei lhe ajudar. Sou médico, e isso não vai mudar, pelo menos nessa encarnação. Mas se você preferir, pode voltar na clínica em outro horário. Depois do meio dia teremos uma médica de plantão. Ou pode agendar com qualquer outro profissional de sua preferência.

Provavelmente ela não estava no seu dia. Como se não bastasse, retrucou em alto e bom(mau) tom:
– E o seu jaleco, cadê? Quanta informalidade! Você não deveria atender sem jaleco.

Respirei fundo. Primeiro a louca encrenca com o fato de eu ser homem, depois porque eu não estava de jaleco! Falou como se eu estivesse atendendo de bermuda e sandália (apesar de que não falta vontade! risos). Respirei fundo novamente, contei até 10, e falei:
– Mais uma vez a senhora me desculpe. Não gosto de jaleco, nem meus pacientes. Crianças odeiam jaleco branco. Por isso eu não uso. Aliás. A pediatra de sua filha usa branco? Quem é a pediatra de sua filha? A senhora deveria marcar consulta com ela e não me procurar no plantão.

Uma luz vermelha subiu dos pés até a cabeça da mulher, seguida de uma fumaça quente que saía por suas ventas! Um panela de pressão prestes a explodir.
– Crianças não entendem nada. Elas estão nem aí para o jaleco branco. Além disso não te interessa quem é a pediatra da minha filha. Cala a tua boca e examina ela logo, que estou com pressa!

Gente, na boa. O que que eu vou falar para uma pessoa dessas, né? Não pode ser certa. Uns me falaram que eu não deveria ter atendido a criança. Teve quem me dissesse que eu deveria agir da mesma forma: me fazer de louco! Mas como vocês viram, de louca ela não tinha nada. Só não tinha tido uma boa educação dos pais, da vida, sei lá.

– Na boa. Eu não conheço a senhora, e também não estou mais afim de conhecê-la. Não sei se a senhora é desequilibrada, ou se está sendo apenas mal educada. Vou atender a sua filha, pois ela não tem nada a ver com isso. Só peço que faça a gentileza de não me dirigir mais a palavra durante a consulta.

Atendi a menina, como se não tivesse mais ninguém na sala. A criança já havia sido atendida no dia anterior, por uma colega (que não veste jaleco branco) e veio para reavaliação, já que os sintomas persistiam. Expliquei o que estava acontecendo e o tratamento, sem dar muito espaço para mais blá blá blá. Ela agia como se não tivesse acontecido nada. Saiu do consultório sem agradecer pelo atendimento, óbviamente.

Fiquei pensando por um tempo se eu tinha feito algo de errado. Não queria ter sido mal educado. Acho que não fui. Mas paciência tem limite! Louca? Não sei. Mal educada, talvez. São coisas diferentes, eu disse. Os loucos são passíveis de tratamento, agora os mal educados… vou te contar. Nem morrendo e nascendo de novo pra endireitar!!

Espero que tenha ficado claro, hein! Não atendo de jaleco. Não gosto e pronto. Se vocês esperam encontrar um doutor vestido de branco para atender o seu filho no consultório, marquem com outra pessoa. Mas por favor, não me façam passar pelo mesmo. Ah! Uma sugestão: ao marcar a consulta na recepção, pergunte quem é o médico que irá atender o seu filho. Talvez seja uma homem, que não usa jaleco branco.

Um abraço e ótima semana!

27 comentários sobre “Homem sem jaleco. Algum problema?

  1. Entrei pela primeira vez no seu site agora e já adorei a forma tranquila em lidar com o problema..
    Vou iniciar a residencia em Pediatria em fevereiro/11, mas estou lendo um pouco da vida dos meus futuros colegas..
    Está de parabéns pelo site.

    Mariana

  2. Parabéns pelo Blog Dr. Thiago!!! Muito legal o seu jeito de narrar os fatos, parece que estamos presenciando os fatos. Peguei o endereço ontem enquanto aguardava a consulta. Prometo que só entrei na internet para ver o seu blog e não para procurar assuntos relacionados a ¨TSH elevado, hiper…” já que isso ficou muito bem explicado na consulta de ontem. Muito obrigada pela atenção e paciência. E quanto ao Jaleco Branco esquece…essa senhora é minoria. Abraços,

  3. Com certeza ela não sabe a fila que é para poder consultar com você!!!!! Continue sem jaleco…é assim que gostamos de vc!!!! profissional dedicado e educado…hehehhee

  4. Olá Júlia! Você tem blog?! Que ótimo!! Manda os links pra mim!
    Você viu… médico também é gente sim!! hehehehehe

    Ana Paula, também adoro vocês! Pra mim é uma honra poder contar com uma família bacana como a de vocês (como a da Júlia e tantas outras!). Realmente sou um cara de sorte! Um abração.

  5. Thiago,sou a mãe da Maria Clara e do Caio,seu amigão…rsrsrs,vimos a reprise do programa de segunda no Falando,foi ótimo.Ele ficava te chamando,como se vc pudesse responder na tela…bom,foi aí que eu soube do blog e vim visitar.adorei,a gente fica sabendo de cada coisa…essa louca de pedra por exemplo…mas o quero dizer é vc é o melhor pediatra que já encontramos,estamos muito felizes e seguros de ver nossos filhos sendo cuidados por alguém tão competente.ADORAMOS as consultas,as conversas,a amizade…obrigada por tudo…
    um grande bjo

  6. Oi Thiago!
    adivinha quem é?
    a Júlia, a irmã da Amanda e filha da Daniele!
    eu tambem tenho um blog, quer dizer, uns 5 blogs!
    a minha mãe falou que tu tambem tinha um blog e resolvi dar uma olhada.
    Muito engraçada a história da mulher mal educada, parece até que só porque é medico não é gente!

    beijo!

  7. Oi Thiago!
    Muito interessante teu blog! Nossa…Adorei!
    Vou olhar mais seguido.
    Queria dizer que eu estava na clínica quando aconteceu esse fato relatado e que tbm fiquei indignada com essa mãe-alterada, aliás não só eu mas tbm outras pessoas que estavam na sala de espera.
    Fica tranquilo, nem vale a pena absorver o acontecido pois independente do jaleco (essa é boa) vc atende muito bem, é atencioso e calmo.
    abraço
    Thaise

  8. Olá Ana!
    Fico contente que vocês tenham gostado dos atendimentos. Por isso nem me estresso com essa história de jaleco, viu?! hehehe… respiro fundo, (re)coloco um sorrisão no rosto e chamo o próximo paciente. Fica tudo resolvido! Um abraço
    Thiago.

  9. Oi Tio Thiago! Sou mãe do Daniel que é paciente da Dra Claudia Lemos (que eu adoro!!), mas já consultamos com vc em alguns plantões e simplesmente adoramos!! O Dani apesar de não te conhecer se sentiu super à vontade e nós ficamos confiantes com o teu jeito de atender o meu filho, o cuidado… tudo. Achei ridículo o que aconteceu com essa mãe (louca!) e estou adorando o blog. Abraço

  10. É muito infeliz esta senhora, mas a forma como vc relatou o acontecimento do jaleco branco, foi muito divertido…AHHHHH
    Com vc não há nada de errado,vc é um ótimo médico… continue sempre assim, vc está de parabéns!Adorei o blog.

  11. Oi Thiago,
    tenho acompanhado seus posts e te dou muita razão nesta situação.
    O objetivo do médico é ajudar e foi isto que você fez, porém, aguentar gente mal educada e deixar que elas nos critiquem, quando sabemos que estamos certos, ou pelo menos, não estamos errados, isso não devemos fazer.
    Por isso, concordo com a tua atitude.
    E ah, às vezes quando vou fazer entrevistas para matérias, me olham torto só porque aparento ser muito mais nova do que realmente sou, e não me levam à sério até lerem as matérias,o que me faz concluir que as pessoas deixam que a aparência fale mais alto que a competência!
    =]

  12. Querido Thiago,só podemos lamentar que pessoas com a mente minúscula cheguem num consultório médico e fiquem se preocupando com pequenas coisas,ela deveria estar preocupada com a saúde da filha e jamais com o que você veste,bem se vê que ela se preocupa com a filha,vai ver que a causa da doença da filha seja a companhia da mãe que certamente é pertubada,você sabe de seu potencial como médico!Deus te abençoe e lhe de muita calma para lidar com certas pessoas.bjooo meus filhos te adorammm

  13. Olá Tio Thiago! Já tem um tempinho que estou pra deixar algum comentário, mas acabo enrolando. Achei o seu blog quando estava criando o meu. Também sou pediatra, e essa história do jaleco foi muito engraçada! Pediatra sofre, né! Mas vale a pena! Continue com suas ótimas postagens, todas muito legais de ler! Abração! Marcelo.

  14. Thiago,,,,a gente passa por cada uma ne ? Bem, coitada dessa crianca q tem uma mae tao mala ,,,hehehehe,,,,se ela soubesse quem vc é …..bjo, parabens pelo blog q ta cada vez melhor,,,Marice.

  15. Dr. Thiago, há bastante tempo que sei de seu blog, porém apenas hoje, motivada pela curiosidade latente de saber sobre a história do jaleco é que resolvi (e também motivada, é claro, pela Erika) investir em lêr o que você escreve e confesso que não fiquei surpresa, fiquei mesmo foi feliz em observar que você imprimi competência aqui também. Com uma linguagem deliciosa, jeito franco (põe franco nisso!) nos prende à leitura e elucida questões de uma maneira muito leve. Você merece mesmo o nosso respeito e admiração (que pena que a sra. dessa matéria não terá o mesmo privilégio de tantos outros que te conhecem de verdade, sem jaleco sim, porém vestido com muita competência!)
    Bom feriado e até quinta-feira.

  16. Thiago, não consigo me decidir se o que mais gosto no seu blog são as dicas médicas ou a sua franqueza ímpar, que divide conosco as alegrias e curiosidades da sua profissão. Ao ler o seu blog sempre saio ganhando, ou com dicas de saúde ou com risadas das situações inusitadas que enfrentas – haja paciência!!!

  17. Apesar de mal educação não ter graça, achei engraçado o fato…
    Vai ver que 'bons médicos' andam de jaleco, são mulheres, não deixam criança pegar sol e aconselham que elas fiquem bem cheias de roupa sempre!
    Meu Deus! Quanta ignorância!
    Ainda bem que isso é pensamento de uma 'minoria' (assim espero!).
    Ainda não fomos aí, mas blz… não me importo que o Tio Thiago esteja de bermuda e camiseta… quero é que goste de crianças e saiba o que faz, disso não tenho dúvidas pq já me foi muito elogiado pela Iara (mãe do Pedro Henrique e do João Vitor) que vão sempre aí!
    Boa semana! Abraço!

  18. Estou horrorizada Thiago, é inacreditável tamanha petulância desta mãe além de extremamente mal educada foi muito grosseira .
    Fico com pena deste pobre ser indefeso que está sendo educado por esta espécie de ser humano.
    Continue sem jaleco e se quiseres atender de camiseta e bermuda sem problemas, pois isso não diminuirá o excelente médico que você é.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s