Férias! Com quem deixar o meu filho?

O ano acabando, as aulas também… Aí vem aquela dúvida: com quem vou deixar o meu filho enquanto ele não estiver na escola? Bem… Com quem você vai deixá-lo, é um grande problema. Mas um problema maior ainda para se resolver é saber o que essa criança vai fazer enquanto não estiver na escola!
Muitos pais perderam a capacidade de brincar com seus filhos, transferindo esta tarefa para os diversos e encantadores aparelhinhos tecnológicos! Não conhecem mais brincadeiras como pular corda, amarelinha ou esconde-esconde (isso tudo cansa e precisa de alguém junto, né?!). Por outro lado, conhecem o repertório completo da Galinha Pintadinha, já gravaram centenas de frases com voz engraçada no Talking Cat e são fascinados por passar pelas fases do inigualável Candy Crush!
Mãe: Nossa! O tablet mudou a minha vida! Agora o Joãozinho chega em casa, eu deixo ele ficar no tablet enquanto eu faço as minhas coisas. Depois dou a janta e ele fica no quarto dele assistindo televisão até dormir.
Que maravilha um filho assim, não?! Nem dá de perceber que tem criança em casa! A vida vai seguindo, ele vai crescendo… E depois de anos você olha pra trás e se arrepende de ter trabalhado muito, de não ter aproveitado o tempo ao lado de quem ama. Parece clichê, mas é assim mesmo que acontece. Ah… Mas você não precisa ficar triste. A hora que der saudade de uma criança pequena em casa, faça mais um! Fácil assim! Risos.
Alguns pais preferem dizer que estão trabalhando duro para dar “qualidade de vida” a seus filhos, garantir um futuro melhor. Futuro melhor, sem presente? Um futuro vazio e sem história para contar? Para dar uma aliviada na própria consciência por ter deixado seu filho de lado quando poderiam estar juntos (porque muitas vezes o tempo existe sim, mas a paciência de brincar com a criança, não!), alguns pais utilizam a famosa desculpa:
Pai: Doutor! Olha este aplicativo! É educativo! Meu filho já reconhece todas as letras, já fala algumas palavras em inglês! Olha como ele se concentra! Quantas horas por dia eu posso deixá-lo  brincando no tablet?  
Thiago: A mesma quantidade de tempo que você não tem paciência e vontade de brincar com ele! Antes só do que mal acompanhado, não é mesmo?!
Legal né?! Uma criança de dois anos que já sabe palavras em inglês e já reconhece as letras do alfabeto. Bem útil mesmo, para ela e para toda a humanidade! Infelizmente, esta mesma criança, quando chegar aos seus 20 anos, continuará sabendo inglês e reconhecendo as letras, mas não saberá se comunicar adequadamente, pois passou a vida inteira olhando nos “olhos” do tablet. Não saberá perceber o que o outro está sentindo, pois não aprendeu a se frustrar nem a compartilhar no momento certo, através das brincadeiras de criança.
A criança precisa de convívio com pessoas para aprender a se relacionar. Precisa conviver com os pais para aprender um (bom) modelo a seguir; com crianças de sua idade, para aprender a compartilhar e dividir. Não são somente os estímulos intelectuais que farão com que a criança seja um adulto de sucesso. Mas sim o tempo (qualidade e quantidade sim!) que permanece perto de seus pais. Caso contrário, ela (a criança) corre um sério perigo de se parecer mais com o padeiro! 

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s