Hora do desfralde

Será que está na hora de tirar a fralda, doutor?

Não sei. Pergunte para seu filho. Ele saberá responder!

Que mania que nós, adultos, temos de interferir em tudo na vida das crianças, hein?! Não somos capazes de simplesmente observá-los atentamente e darmos o suporte suficientemente necessário. Ao contrário, nos achamos o máximo por termos nascido antes, e aí queremos palpitar em tudo! Até na hora de tirar a fralda, vejam só!

Se tivermos um pouco de paciência, perceberemos que a criança mostra exatamente o momento em que está pronta para desfraldar. Até fala! Mas as várias necessidades dos adultos impedem que os pequenos tenham controle sobre as suas próprias “necessidades”. 

Se é conveniente que fique de fralda, determinamos: “hoje você vai ficar de fralda”. Uma situação bastante comum é quando a família entra no carro e vai passear. Os pais não querem correr o risco de ter que limpar o banco de trás ou perder tempo no shopping levando a criança ao banheiro. Quem nunca fez isso?

Em outro dia, se o tempo esquenta, mudamos o discurso: “hoje você pode ficar sem fralda!”. Na verdade, queremos dizer que naquele dia estamos dispostos a limpá-lo em caso de acidente. Mas só naquele dia. O papai aproveita e se coloca à disposição, pois no calor, as roupas são mais fáceis de trocar! (risos!) Mas mesmo assim a criança ainda ouve: “Ah não filho, você fez xixi de novo?! Por que não avisou o papai?!”. Percebe como não somos coerentes?!

Quando a criança aprende a caminhar, não usamos os mesmos princípios: “Filho, hoje você vai caminhar, pois a mamãe pode cuidar de você”. Ou: “Hoje o papai não quer que você caminhe. Fique no lugar.”. Estamos falando sobre momentos do desenvolvimento que precisam de um tempo para amadurecerem até atingirem um aprendizado específico: sentar, caminhar, falar, conter o xixi e o cocô. Este aprendizado é constante. Não acontece de uma hora para a outra. O resultado até pode ser percebido como um espetáculo! Tcha-Ram! Mas pensa no trabalho que deu para preparar isso antes?!

O controle dos esfíncteres (capacidade de segurar o xixi e o cocô) deve ser aprendido por meio da observação dos adultos e por estímulo positivo, fazendo com que uma sequência de pequenas conquistas leve ao controle total. Esse aprendizado acontece no momento ideal determinado pelo desenvolvimento da criança, e não na hora que os pais decidem que deve acontecer. 

Pensamentos do pediatra: Ninguém pega uma criança de 7 meses, coloca-a de pé e fala: “Anda minha filha!”. Ou coloca?! Esperamos ela engatinhar, levantar-se sozinha, soltar as mãos, para só então começar a estimulá-la a andar sem apoio. Mas com a fralda não. Achamos que a hora é hoje, tira a fralda e vai! Quase como um milagre! Se não, só no próximo verão!!! No inverno o desenvolvimento não acontece?!

Deixo como orientações e sugestões:

1 – O desfralde acontece naturalmente após os 2 anos. Não tente fazê-lo antes.

2 – A criança demonstra sinais claros de que quer desfraldar. O principal deles é avisar que fez xixi ou cocô. Ouça e leve seu filho ao banheiro. Valorize a sua percepção e pedido. Evite falar: “faça na fralda, meu filho”.

3 – Quando a criança já estiver avisando que fez na fralda, retire-a no banheiro, para que ela entenda que lá é o lugar do xixi e cocô. Costumo brincar chamando de “casinha do xixi” e “casinha do cocô”. Jogue o cocô no vaso (e finja jogar o xixi), dê descarga e tchau! Seu filho vai gostar de fazer isso a ponto de querer repetir a brincadeira!

4 – Depois de fazer a higiene adequada, deixe a criança por alguns minutos sem a fralda. Nada de pânico! Ela não vai explodir! Deixe-a ter a oportunidade de experimentar como é viver livre, leve e solta! Ela vai se acostumando e aprende a gostar de ter a liberdade de estar de calcinha ou cueca. Avise que, se tiver vontade, é só pedir que você a levará ao banheiro.

5 – Você pode aumentar progressivamente o tempo em que a criança fica sem fralda. Não é assim que acontece com o caminhar?! Primeiro um passo, depois dois, até correr?! Então… Ela pode ficar 15 minutos sem fralda, amanhã você deixa 30 minutos, depois uma hora, até perceber que ela não precisa mais. Isso não dói e pode acontecer naturalmente.

6 – A fralda noturna pode demorar um pouco mais para ser retirada. Espere que a criança acorde seca, pelo menos por 7 dias consecutivos, para então iniciar as tentativas. É normal ficar com a fralda noturna até os 4 anos, com algumas excessões que devem ser conversadas com o pediatra.

7 – Se você iniciar o desfralde no vaso, lembre-se que a criança tem que apoiar os pés no chão. Então providencie um redutor de assento e um banquinho que possa servir de apoio para os pés. Isso evita que ela fique com medo de cair do vaso (ou dentro dele!). Se iniciar com penico, certifique-se de que ele não é muito baixo. Os joelhos devem ficar com ângulo de 90 graus para que a criança se sinta confortável e não deixe acumular xixi na bexiga.

Se as dicas foram úteis para você, compartilhe. Deixe seus comentários e sugestões. Quem sabe você tem uma experiência diferente que pode ajudar aos outros?!

 

 

 

 

 

4 comentários sobre “Hora do desfralde

    1. Obrigado pelo seu feedback Fernanda!
      Tenho trabalhado tentando implementar um caminho mais leve, porém direto com os pais. A ideia do Blog foi justamente essa: tentar trazer um pouco de coerência para esse mundo neurótico que estamos vivendo!! hehehehe
      Abraço!

  1. Pingback: Melhores links da semana (de 16 a 21/08/2016) - Só Melhora

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s