Febre amarela: fique ligado!

E com a notícia dos casos de febre amarela, vem aquele povo doido querendo vacinar até contra a sogra! Ops… Vacinar até a sogra! Calma gente, calma aí… Vamos ver o que está acontecendo primeiro, depois a gente se apavora junto! É muito bicho pra se preocupar: dengue, chikungunya, zika e agora a febre amarela. Coitada da gripe, ficou miúda no meio dessa galera! Espero que não se rebele no próximo inverno.

Os casos divulgados de febre amarela nos últimos dias são do tipo silvestre e não urbano. Em Santa Catarina, o último caso de febre amarela silvestre foi registrado em 1966, no extremo oeste. A febre amarela urbana foi erradicada no Brasil em 1942. Mas para que continue assim, temos que manter o vírus da febre amarela longe das cidades.

Nas áreas rurais e florestas, os macacos são hospedeiros. Não transmitem diretamente para outros macacos e humanos, assim como os humanos não transmitem para outros humanos. O vírus precisa dos mosquitos para saçaricar por aí. No caso da febre amarela silvestre, o vetor é o mosquito Haemagogus. Já na febre amarela urbana, o vírus utiliza o Aedes aegypti como transporte. Dezembro a maio é o período de maior incidência dessa doença, assim como das outras causadas pelo mosquito. O povo que vende repelente agora fica rico!

Geralmente entre três e seis dias após a picada do mosquito, o paciente apresenta febre alta, calafrios, dor de cabeça, náusea e vômitos. Aí você vai falar: parece uma virose! Mas é isso mesmo: uma infecção causada por vírus, ou seja, uma virose! E por isso o paciente pode apresentar cansaço, mal estar, dor nos músculos e diarreia. Quadros mais importantes evoluem com dor abdominal e até icterícia (olhos e mucosas amarelados), sintomas hemorrágicos (manchas roxas na pele e sangramento gengival e nasal), além de comprometimento de vários órgãos, como rins e fígado.

O diagnóstico é feito com exames específicos e pela história dos sintomas; e o tratamento é realizado, geralmente, em nível hospitalar, com hidratação e administração de antitérmicos e analgésicos.

A boa notícia é que existe vacina para febre amarela. É gratuita, podendo ser feita em qualquer unidade de saúde (posto de saúde) do país. É recomendada para pessoas que vivem em áreas de risco ou que viajarão para essas áreas (links no final do texto). Lembre-se que a vacina precisa ser feita, pelo menos, 10 dias antes da viagem. Não esqueça! Antes desse período, você ainda não estará imune.

Crianças podem receber a vacina a partir dos 9 meses, com reforço aos 4 anos. Lembre-se que ela não deve ser feita no mesmo dia que a vacina triviral. Crianças maiores, adolescentes e adultos recebem uma dose, com reforço após 10 anos. É contraindicada para gestantes e mulheres amamentando bebês menores de 6 meses de idade. O uso em imunodeprimidos deve ser avaliado pelo médico. A vacina tem cobertura de 95 a 99%, portanto é eficaz!

Clique para ver o mapa com área de recomendação de vacina:

Para você não ficar achando que o problema não é nosso… Acorde pra vida! Mantenha os cuidados para controle do mosquito e ajude a evitar a proliferaçãos das doenças causadas por esse vetor. 

 

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s